Capeamento asfáltico – as etapas do serviço

Execução de pavimento flexível formado por uma base de brita graduada revestida por uma camada asfáltica

 

1. Preparo da base

O capeamento asfáltico é aplicado após a execução da base e sub-base. Esse piso deve estar regular, compactado e isento de partículas soltas. A brita graduada simples é um dos materiais mais usados no País como base e sub-base de pavimentos asfálticos. Trata-se de um material cujo diâmetro dos agregados não excede 38 mm, e que tem entre 3% e 9% de finos. Seu transporte é feito em caminhões basculantes e a distribuição do material na pista é feita, normalmente, por vibroacabadora ou motoniveladora.

 

2. Compactação da base

A compactação é executada por rolos compactadores estáticos ou vibratórios. Essa operação deve ser feita logo após o espalhamento para evitar que a brita perca umidade.

 

3. Lançamento da mistura asfáltica

A mistura asfáltica deve ser lançada em uma camada de espessura uniforme. O lançamento é feito por vibroacabadora, que lança a mistura, faz o nivelamento e a précompactação da mistura asfáltica. O lançamento da mistura deve ser precedido por uma preparação da superfície da base – com uma imprimação, por exemplo. A imprimação consiste na aplicação de material asfáltico sobre a superfície da base já concluída, para conferir impermeabilização e permitir a aderência entre a base e o revestimento a ser executado.

 

4. Compactação do asfalto

Essa fase de execução da camada asfáltica geralmente se divide em: 1) rolagem de compactação e 2) rolagem de acabamento. Na primeira, se alcança a densidade, a impermeabilidade e grande parte da suavidade superficial. Na rolagem de acabamento são corrigidas marcas deixadas na superfície pela fase de rolagem anterior. Para essas tarefas são empregados rolos compactadores estáticos ou vibratórios. Após a compactação o pavimento está pronto para receber o acabamento superficial especificado.

fabricio

Empresário, graduado em Zootecnia pela UNESP – Jaboticabal, com especialização em gestão de propriedades rurais. Atuante na área de Mineração de Agregados para Construção Civil, com 11 anos de experiência. Conselheiro Administrativo e Gestor de Estratégias na Pedreira INDERP em Ribeirão Preto, dedica-se à Mineração com foco em maquinas e equipamentos. Estudioso na área de Direito Minerário e na viabilidade de jazidas minerais estratégicas.

Escrever uma resposta ou um comentário